terça-feira, agosto 19, 2008

Leminski


Apagar-me
diluir-me
desmanchar-me
até que depois
de mim
de nós
de tudo
não reste mais
que o charme.
(Paulo Leminski)

Um comentário:

Caito disse...

Com o poema essa imagem ficou acachapante. Muito loco!